You are here

Dissertação

Processo da dissertação

O processo associado à dissertação tem um fluxo bem definido que deve ser seguido por todos os intervenientes:

  1. Escolha da proposta de tema
  2. Pedido de admissão
  3. Homologação
  4. Relatório de pré-dissertação
  5. Conclusão
  6. Escrita e defesa

 


1. ESCOLHA DA PROPOSTA DE TEMA
(intervenientes: Aluno e potenciais Orientadores)

O processo conducente à realização de uma dissertação de mestrado começa com a escolha do tema. Em cada ano, torna-se público um conjunto de propostas de temas de dissertação sugeridos quer por docentes, quer por empresas ou institutos de investigação.

Cada Aluno deve contactar os proponentes dos temas, com a maior brevidade possível, no sentido de se esclarecerem sobre a(s) proposta(s) da sua preferência. Cabe ainda ao proponente do tema decidir sobre a aceitação de candidaturas e resolução de conflitos de interesses entre múltiplos candidatos ao mesmo tema. O Orientador de cada trabalho de dissertação tem de ser obrigatoriamente um professor do MEI. Só após a aceitação do Orientador é possível proceder à formalização do pedido de admissão a dissertação.

Um Aluno pode propor o seu próprio tema, devendo, contudo, encontrar um professor do MEI que esteja disponível para orientar os trabalhos.


2. PEDIDO DE ADMISSÃO
(intervenientes: Aluno, Orientador(es), Diretor de Curso, Presidente da Comissão Científica do Departamento ou Centro)

  • (Aluno) Preenchimento do formulário de admissão à realização da dissertação / trabalho de projeto (ver Formulários & Docs)
  • (Aluno+Orientador) Elaboração do plano de trabalhos (tipicamente, 3-4 páginas A4), de acordo com a seguinte estrutura:
    • Identificação (MEI, Aluno, Orientadores, local)
    • Tema
    • Resumo (100-200 palavras)
    • Enquadramento
    • Objetivos
    • Métodos de trabalho/investigação
    • Calendarização
    • Bibliografia
    • Assinaturas do Aluno e do(s) Orientador(es)
  • (Aluno) Entrega, até ao dia (data anunciada anulamente), do formulário e do plano de trabalhos, ambos em versão eletrónica (em PDF) através do Portal@DI e em papel na secretaria do Departamento de Informática.
  • (Diretor de Curso) Validação do formulário e do plano de trabalhos.
  • (Diretor de Curso+Presidente da Comissão Científica do Departamento ou Centro) Homologação do plano de trabalhos.
  • (Diretor de Curso) Envio de toda a documentação original (em suporte digital e em papel) para o Conselho Pedagógico.


3. HOMOLOGAÇÃO
(interveniente: Presidente do Conselho Pedagógico)

  • (Presidente do Conselho Pedagógico) Homologação de toda a documentação original.
  • (Presidente do Conselho Pedagógico) Envio por correio eletrónico da homologação do processo ao Aluno, ao Diretor de Curso e ao Orientador Académico.
  • (Presidente do Conselho Pedagógico) Envio aos Serviços Académicos da lista dos alunos que vão iniciar a dissertação .


4. RELATÓRIO DE PRÉ-DISSERTAÇÃO
(intervenientes: Aluno, Colegas, Orientador(es), Docentes do DI)

A unidade curricular Dissertação compreende uma componente designada de Relatório de pré-dissertação (RPD), que integra uma prova escrita, com apresentação e discussão públicas.

A prova escrita, na forma de um relatório técnico redigido de acordo com o estabelecido para a escrita da dissertação, deve delimitar e caracterizar o problema a tratar no âmbito da dissertação de mestrado, o respetivo estado da arte e o planeamento da investigação.

A elaboração do RPD decorrerá durante o 1º semestre do ano letivo. O prazo limite para a submissão dos RPDs é fixado anualmente e **obrigatoriamente** até só até esse dia, (não haverá extensão do prazo). A submissão, de UM ÚNICO ficheiro, deverá ser feita através do Portal@DI.

Este ano não será necessário o parecer do Orientador, o qual o expressará diretamente à Direção de Curso no dia da Apresentação (em caso de impossibilidade de estar presente, fa-lo-á por email).

As apresentações (de 15 mins = 10+5 para discussão) serão realizadas nos dias a indicar oportunamente e de acordo com um calendário a ser publicado anualmente.

A sessão de apresentação e discussão pública dos RPDs será agendada para a semana seguinte à data da submissão, segundo programa a definir pela DC.

Para a apresentação e discussão pública será nomeado um júri, presidido pelo diretor do MEI (ou seu representante), a que se reúnem o(s) orientador(es) e um arguente. A classificação do RPD é da responsabilidade do júri, que tomará em consideração a prova escrita e a respetiva apresentação e discussão pública. O resultado final será de índole qualitativa e integrará o processo de avaliação da Dissertação.


5. CONCLUSÃO
(intervenientes: Aluno, Diretor de Curso, Orientador(es), Arguente)

  • (Aluno) Entrega, através do Portal@DI, dos 5 seguintes documentos em formato digital:
    • dissertação
    • curriculum vitae
    • resumo e abstract (da dissertação)
    • anexo II: Requerimento de Provas(ver Formulários & Docs)
    • Declaração relativa ao depósito de dissertações e teses no RepositoriUM + Formulário para depósito legal de dissertações e teses no RepositoriUM(ver Formulários & Docs)
  • (Aluno) Entrega, em papel (com assinaturas originais), do requerimento de realização de provas e da declaração de depósito para o Gestor do RepositoriUM, na secretaria do Departamento de Informática.
  • (Diretor de Curso) Envio do requerimento de provas para o Conselho Pedagógico para posterior envio aos Serviços Académicos para a emissão da pauta.
  • (Diretor de Curso) Marcação da data de defesa pública da dissertação.
  • (Diretor de Curso) Publicação do edital no Portal do Conselho Pedagógico da Escola de Engenharia.
  • (Diretor de Curso) Envio de convocatórias para os elementos do júri.
  • (Diretor de Curso) Notificação do Aluno para a defesa pública da dissertação.
  • (Todos) Realização das provas de defesa pública da dissertação (ver mais detalhes)
  • (Todos) Após a defesa e caso seja explicitamente indicado pelo júri, a versão definitiva da dissertação, em formato digital, deverá ser entregue pelo Aluno, com as alterações sugeridas. O(s) Orientador(es), o Diretor de Curso e o Arguente validam a versão final da dissertação para posterior depósito no RepositoriUM.
  • (Diretor de Curso) Lançamento da nota em pauta definitiva e entrega no Conselho Pedagógico.
  • (Diretor de Curso) Envio da versão final da dissertação, em formato digital, e da "Declaração relativa ao depósito de dissertações e teses no RepositoriUM" + "Formulário para depósito legal de dissertações e teses no RepositoriUM" para o Gestor do RepositoriUM.

A produção de cópias da dissertação em papel deixou de ser obrigatória. Atualmente, todo o processo de defesa da dissertação recorre apenas a documentos eletrónicos.

Os requerimentos para realização de provas podem ser entregues em qualquer data, mas devem ser entregues no mínimo com 8 dias de antecedência das datas 30Out, 30Jan, 30Abr e 30Jul.

Os requerimentos de provas entregues fora de prazo implicam que o aluno tenha que renovar a sua inscrição nos Serviços Académicos.


ANEXO - ESCRITA E DEFESA


Escrita da dissertação

A escrita da dissertação deve seguir os formatos disponíveis no Portal Académico da UMinho. A dissertação pode ser escrita quer em língua portuguesa, quer em língua inglesa.

A capa da dissertação deve seguir o formato oficial da UMinho. Para tal, disponibiliza-se uma capa modelo, que deve ser adaptada para cada caso específico.

Material disponível: 'template' para dissertação e 'template' para dissertação c/glossário(em LaTeX/BibTeX).

Se necessário, pode consultar uma apresentação da direcção de curso sobre o tema "escrita de uma dissertação" (slides).


Defesa pública

As dissertações são avaliadas por um júri que tipicamente inclui, como arguente principal, um titular do grau de doutor, vinculado a uma instituição externa à UMinho. O figurino que é adotado para as provas é o seguinte:

  • As provas iniciam-se com uma apresentação de 15 min. por parte do aluno, em que deverão ser salientados os aspetos mais relevantes do seu trabalho.
  • Segue-se uma fase de 30 min. para arguição, em que o arguente externo faz os comentários ao trabalho e coloca questões, a que o aluno deve responder. Como é hábito em provas desta natureza, espera-se que o tempo seja equitativamente distribuído pelo arguente e pelo aluno.
  • No final, o orientador e o presidente podem fazer comentários ao trabalho, em intervenções que não devem durar mais do que 5 min. cada.

Não é obrigatório o aluno apresentar, nos 15 min, tudo o que fez em pormenor. Em alguns casos pode ser sensato/suficiente fazer uma apresentação genérica do trabalho realizado e depois focar em 2 ou 3 aspetos que sejam considerados merecedores dessa diferenciação. Como recomendação, sugere-se que cada apresentação tenha, no máximo, 15 diapositivos.

O júri usa os seguintes critérios para avaliação das dissertações:

  • Satisfação dos objetivos inicialmente propostos
  • Resultados produzidos além da dissertação
  • Qualidade do trabalho realizado (correção, background/SotA, profundidade, aplicação/experimentação, etc.)
  • Qualidade da análise crítica da contribuição e dos resultados obtidos
  • Qualidade da dissertação (estrutura, correção/estilo da escrita, clareza, apresentação, etc.)
  • Qualidade da apresentação oral e da argumentação
  • Maturidade científica do aluno
início contactos RSS Feed última actualização: 16-Out-2017 partilhar facebook
Drupal theme by pixeljets.com D7 ver.1.1